Em defesa da Revolução: o estado de emergência e a possível ofensiva do Estado turco

Em 7 de julho de 2022, a Administração Autônoma declarou estado de emergência para todas as áreas do noroeste da Síria. Durante as últimas semanas, os ataques do estado turco contra todas as linhas de frente de Rojava aumentaram intensamente, por meio de ataques terrestres e aéreos, bombardeios maciços de artilharia contra a região. Ao mesmo tempo, colegas e civis são alvos e vítimas de ataques de drones diariamente. Desde a última cúpula da OTAN em Madri ficou claro que a OTAN e seus principais atores: Estados Unidos, Alemanha, Grã-Bretanha, França e Itália deram luz verde à Turquia para uma nova invasão em Rojava, no nordeste da Síria. Neste momento, a situação é cada vez mais crítica, o exército turco e seus grupos mercenários se mobilizam nas fronteiras e enviam enormes contingentes militares para a região. Não está claro quando ocorrerá a escalada da situação, mas uma coisa é clara: a escalada é iminente.

Devemos entender o que isso significa. Celebramos o décimo aniversário da revolução. Dez anos atrás: Em 19 de julho de 2012, o povo de Kobane tomou seu destino em suas mãos, libertou suas terras e iniciou a Revolução de Rojava. Desde então, os habitantes de Rojava, em condições extremamente difíceis e com enormes sacrifícios, construíram sua vida e sua terra com as próprias mãos. Esta revolução reviveu o internacionalismo no século XXI e criou uma realidade de luta que é uma inspiração para todos nós. Todas as conquistas dos últimos dez anos estão, neste momento, em perigo.

Esta guerra não é apenas uma guerra contra a Turquia e o regime AKP-MHP, mas contra as forças imperialistas que procuram impor a sua hegemonia. Na verdade, o AKP-MHP nada mais é do que um fantoche da OTAN e seu desejo de expansão. O atual sistema de dominação está em uma grande crise global e em processo de reestruturação, por isso a OTAN busca unir todas as forças imperialistas e sufocar qualquer movimento revolucionário que possa enfraquecer e destruir sua hegemonia. O regime AKP-MHP mergulhou toda a sua população numa grande crise política, social e econômica, pelo que para evitar a sua completa desintegração deve cumprir o seu único objetivo: liquidar o movimento de libertação curdo.

Uma nova invasão turca em Rojava pode marcar o fim do projeto socialista ou pode se tornar o motivo do colapso do fascismo turco. A região será mergulhada em uma era de trevas ou o sol da liberdade se erguerá alto e brilhará sua esperança no horizonte até os quatro cantos da terra.

Por isso, apelamos a todos para que compreendam a gravidade da situação e apelamos a todas as forças revolucionárias para que atuem de acordo com este momento histórico. Devemos assumir a responsabilidade de seguir o caminho aberto por todos aqueles que caíram mártires e tentaram construir uma vida livre, sem dominação nem opressão. Na nossa vontade e na nossa força está a possibilidade de uma mudança real, de começar a construir uma vida livre neste novo ciclo político. Bolívia, Equador, Chile, Colômbia ou Brasil são alguns dos muitos outros países que demonstraram esse desejo de mudança e a rejeição total de uma Modernidade Capitalista que está enfrentando seus limites.

Nós os chamamos de serkeftin e enviamos a eles nossas calorosas e revolucionárias saudações de Rojava!

FUENTE: Revista Lêgerîn / Tradução: Mídia Quinze Zero Oito

Leave a Reply

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.